Preço do milho volta a subir mesmo com avanço da colheita

Fonte: Milk Point. 


Mesmo diante do avanço da colheita de segunda safra no Brasil, as cotações do milho voltaram a subir com certa força na primeira quinzena de julho na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea.

 
Essa reação ocorre após geadas terem sido observadas em algumas praças no encerramento de junho, que deixaram produtores em alerta e afastados do mercado spot – e dados oficiais divulgados neste mês evidenciam as perdas causadas pelo clima adverso nesta safra 2020/21. Diante disso, parte dos compradores com forte necessidade se mostrou mais flexível, pagando os valores maiores pedidos por vendedores.
 

Na primeira quinzena de julho (entre 30 de junho e 15 de julho), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) subiu fortes 9,4%, fechando a R$ 98,01/saca de 60 kg no dia 15. Na média das regiões acompanhadas pelo Cepea, também no acumulado da primeira quinzena, as cotações subiram 12,5% no mercado de balcão (recebidas pelo produtor) e 12% no de lotes (negociações entre empresas). Já o produto posto no porto de Paranaguá (PR) caiu 0,5%, refletindo as quedas cambiais e a demanda enfraquecida.
 

Segundo dados da pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a produção da segunda safra teve recuar 10,8% frente à anterior, agora estimada em 66,9 milhões de toneladas. Com a redução na produção e a demanda firme, os estoques de passagem passaram a ser estimados em 5,46 milhões de toneladas, 48,4% abaixo das da safra passada e o menor volume desde a temporada 2015/16.
 

* As informações são de Carolina Camargo Nogueira Sales, em Boletim do Leite Cepea, adaptadas pela equipe MilkPoint.
 

Publicado: 23/07/2021 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!