COE da pecuária de leite acumula alta de 11,49% de janeiro a junho de 2021

Fonte: CNA. 


De janeiro a junho deste ano, o Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária de leite acumulou forte alta de 11,49%, segundo o boletim Campo Futuro, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

O COE da atividade leiteira inclui gastos com ração, mão de obra, medicamentos, manutenção de máquinas, benfeitorias e equipamentos, material de ordenha e de inseminação artificial e todos os itens referentes aos desembolsos realizados pelo produtor.

De acordo com o documento, o insumo que mais tem pesado no bolso do produtor é o concentrado, que valorizou 11,34% (média Brasil) no primeiro semestre de 2021. “Esse cenário é resultado dos elevados preços da soja e do milho que, nos últimos 12 meses, se valorizaram 35,19% e 85,72% respectivamente”, explica o boletim.

O boletim também apontou que, de janeiro a junho, a receita do produtor variou positivamente 3,52% para a “média Brasil”, cotado em R$ 2,201 o litro de leite. A CNA alerta que esse cenário exige muita atenção dos produtores que, na maior parte dos casos, encontram margens apertadas na atividade leiteira.

Segundo a publicação, em um cenário de alta nos custos de produção como o atual, propriedades com rebanhos desestruturados e menos produtivos tendem a sentir mais os efeitos em suas margens. “Como consequência, tendem a investir ainda menos nas categorias de reposição, uma vez que os gastos se concentram nos animais em produção, que geram renda”.

Clique aqui para ler o boletim completo.


Foto: Tony Oliveira


Publicado: 13/08/2021 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!