COOASAVI realiza AGO para prestação de contas, eleição do novo Conselho Fiscal e votações importante

Na última sexta-feira, dia 21 de maio, foi realizada a AGO da COOASAVI, com transmissão on-line aos cooperados, de modo a garantir a segurança de todos em razão da pandemia de Covid-19. A reunião aconteceu na sede da cooperativa, onde estiveram presentes cerca de 15 cooperados, compondo o quórum necessário para a 3ª convocação. Na oportunidade, a Diretoria efetuou a prestação de contas do ano de 2020, apresentou as melhorias efetuadas e os projetos para o futuro. Também foi feita a eleição do novo Conselho Fiscal (exercício 2021), além de deliberações importantes.


O Diretor Presidente da COOASAVI, Ronaldo Laredo, fez a abertura da assembleia, discursando sobre o trabalho desempenhado pela Diretoria nos últimos cinco anos, especialmente em 2020. Durante sua fala, Ronaldo destacou o crescimento da colheita da soja e milho nos últimos três anos e os desafios enfrentados pela cooperativa para atender a alta demanda no silo. O Diretor Presidente enfatizou a importância do novo complexo de beneficiamento de grãos, que já está em construção, ressaltando que parte do financiamento deriva do sucesso da cooperativa, que se encontra 100% auditada.


Ronaldo acrescentou que foram feitas melhorias na matriz, com a expansão de 2 mil metros quadrados, sendo que toda a obra já está quitada. De acordo com o Diretor Presidente, para o futuro os planos são inaugurar uma nova loja e aumentar o mix de produtos, especialmente o maquinário. “Estamos correndo atrás da recuperação de impostos que as cooperativas são isentas, como o PIS/COFINS, utilizados na obra do novo complexo. Com isso, teremos mais capital para fazer importantes investimentos em prol dos cooperados”, destacou.


Ainda em sua fala, Ronaldo explicou sobre o preço da ração, que teve uma grande alta em função da elevação das commodities soja e milho. “Queremos esclarecer aos cooperados que hoje é impossível fazermos uma ração que consiga competir com outras lojas que não procedem da mesma forma que a cooperativa”, disse. O Diretor Presidente salientou também que a AGO era para mostrar que a COOASAVI está em expansão e em ótima situação financeira. E finalizou seu discurso dizendo que a Diretoria está sempre aberta a sugestões para melhorar o atendimento e os serviços oferecidos aos cooperados.


Logo em seguida, o Diretor Financeiro da cooperativa, José Afondo de Araújo, fez um breve pronunciamento. Ele destacou que, atualmente, vê a COOASAVI em uma situação muito segura, com tudo muito bem controlado. “Os frutos estão nas obras para beneficiar os produtores de grãos de São Vicente e região. Hoje a cooperativa não está conseguindo atender, dado o crescimento da produção, mas isso vai mudar com o novo complexo”, disse.


Novo complexo de beneficiamento de grãos da COOASAVI


Após a fala de José Afonso, o Diretor Administrativo da COOASAVI, Paulo César Durço, assumiu a palavra para apresentar os resultados de 2020. Antes de compartilhar o relatório, César salientou: “Estamos em nosso segundo mandato, há cinco anos à frente da cooperativa. Quando assumimos, a COOASAVI estava em uma situação desconfortável em relação às finanças e fiscal e, com o trabalho realizado, as coisas foram mudando. Buscamos financiamento no Banco do Brasil, ampliamos e modernizamos os escritórios e ampliamos os silos. A cooperativa hoje tem outra cara e estamos felizes em ver esse crescimento todo”.


César também explicou sobre os desafios enfrentados para atender aos cooperados produtores de grãos. “Quando terminamos as obras na matriz, nós nos reunimos e constatamos que a estrutura de recebimento de milho estava limitada, especialmente pelo secador. Estamos trabalhando 24 horas por dia, pagando hora extra, com custos altos. Avaliando outras tabelas de silos localizados na região, nós ficamos assustados com a nossa tabela, mas estamos aqui para servir os cooperados”, defendeu. O Diretor Administrativo também falou sobre a urgência pelo novo complexo de beneficiamento de grãos da COOASAVI: “se não aumentarmos a capacidade de recebimento e armazenamento, vamos continuar assistindo caminhões passando pela cooperativa levando os grãos para outras cidades”, disse.


Conforme César afirmou, a compra do terreno foi aprovada na AGO de 2019 e a obras, na assembleia de 2020. Hoje, a construção segue a todo vapor, contemplando um projeto com dois silos grandes, dois pulmões e dois secadores grandes de produtos. Os silos e os secadores para a soja e milho serão independentes para que não haja contaminação. De acordo com César, o projeto ficará em torno de R$ 15 milhões. “Nós temos que ter coragem para fazer um investimento dessa envergadura e eu acho que nós tomamos uma decisão acertada. Já recebemos muitos elogios dos produtores”.


O Diretor Administrativo afirmou que já chegou 50% do material para as obras e justificou sobre a escolha da empresa fornecedora dos silos. “Escolhemos a marca GSI porque é líder mundial em equipamentos para beneficiamento e armazenamento de grãos. Os silos são autolimpantes e não poluem. É mais caro, mas é muito melhor que os outros. É um investimento que vale a pena”, destacou.


A capacidade de armazenamento dos silos será de 230 toneladas, já a capacidade dos pulmões será de 30 toneladas. Estima-se um fluxo de produção e transporte de 120 e 200 toneladas/hora. As quatro moegas para recepção terão capacidade de 6.400 sacas. O tombador (para caminhão e bitrem) será de 21 metros e a balança (rodoviária e carregamento) terá capacidade de 120 toneladas e teremos duas balanças suspensas de carregamento na base dos silos com descarga automática.


Prestação de contas


Ao fazer a apresentação do Relatório de Prestação de Contas de 2020, César explicou que o documento está disponível aos cooperados (acesse aqui) e que as contas não receberam nenhuma ressalva da empresa de auditoria externa. “A COOASAVI deu um salto muito grande. Não somente a nossa cooperativa, como todas as outras. Isso porque as commodities valorizaram. E a economia, apesar da pandemia, para nós não está prejudicada. Inclusive na loja temos visto um movimento muito bom”, disse.


No que concerne à evolução do quadro social, em 2020, a COOASAVI associou 65 novos cooperados e houve 16 afastamentos. Quanto à evolução do ativo, a COOASAVI registrou um aumento de 71%, passando de mais R$ 19 milhões para mais R$33 milhões. De acordo com César, o crescimento deve-se à elevação das commodities. Já o estoque passou mais de R$4 milhões para mais de R$ 8 milhões. “Nosso estoque está sempre novo e atualizado. É importante considerar os custos operacionais e a margem”, disse César. “Nós viramos o ano com mais de 31 mil sacas de milho, sendo vendidos a preço de mercado”, completou.


O Patrimônio Líquido da COOASVI teve um aumento de 70,46%, passando de R$13.116.360 para R$22.357.871. Também houve um salto na liquidez geral, liquidez corrente, liquidez seca e capital de giro. “Quanto maior, melhor”, reforçou César. Do mesmo modo, foram registrados crescimento no faturamento da fábrica, filiais de São Vicente, Piedade e Liberdade.


Já a venda de produtos da fábrica teve queda de 8,81% em razão do alto preço da ração e da desistência de muitos produtores de leite de prosseguir no negócio. Vale salientar que milho e soja não entram nesse cálculo.


Parecer do Conselho Fiscal


Onofre Bueno Filho, membro do Conselho Fiscal, falou na sequência e destacou o trabalho da Diretoria, o qual classificou como “brilhante”. “A Diretoria contratou uma auditoria externa, que nos ajudou muito, tem dado transparência e fornecido números consistentes que nos possibilitam analisar a saúde financeira da COOASAVI”, disse. E completou: “desde quando assumimos, tomamos uma postura de, além de avaliar as contas, trabalhar como auxiliares da Diretoria, oferecendo sugestões e melhorias administrativas”.


Dentre as sugestões feitas pelo conselho estão:


• Oferta de treinamento aos funcionários das filiais (Liberdade e Piedade) – acatada pela Diretoria

• Criação de uma Central de Atendimento na matriz através de um número de WhatsApp – (35) 98853-2848 – acatada pela Diretoria

• Solicitação de um Relatório de Contas a Receber – atacada pela Diretoria

• Elevação do teto de compras dos cooperados – acatada pela Diretoria

• Redução de 13% para 9% do custo operacional na margem de comercialização

• Transparência quanto à movimentação das obras do silo (mês a mês) – acatada pela Diretoria

• Melhorias na carga e descarga – acatada pela Diretoria

• Redução da taxa de juros de 1,5% para 1% por atraso nos pagamentos dos cooperados – Diretoria está analisando

• Criação de recursos específicos para despesas administrativas, com distribuição de forma equilibrada entre as filiais – atendido em parte, com orientação da auditoria


O Conselho Fiscal também solicitou informações sobre o andamento das melhorias no site. Conforme informado pela Diretoria, as otimizações já estão em andamento pela empresa de software contratada (AgroBold), inclusive com criação de aplicativo para facilitar o acesso do cooperado a informações importantes.


Onofre finalizou sua fala lendo o parecer do Conselho Fiscal, com a aprovação das contas de 2020, e disse: “somos bastante críticos porque queremos que a cooperativa cresça com sustentabilidade. Agradecemos à presteza da Diretoria e de todos os funcionários”.


Deliberações importantes


Na última parte da AGO, foram efetuadas votações sobre tópicos relevantes e a eleição do novo Conselho Fiscal. Confira a seguir, as decisões tomadas em assembleia:


1) Crédito PIS/COFINS 2020:
Ressarcimento PIS/COFINS Não Cumulativa - Período da geração 2015 – 2019
R$ 4.468.689,01

Proposta aprovada: Incluir valor ressarcido no Fundo de Reserva da cooperativa 


2) Sobra à disposição da AGO: R$ 1.420.152,99

Proposta aprovada: 100% da sobra para a cooperativa realizar melhorias e investimentos em sua infraestrutura, incorporando a sobra no Fundo de Reserva


3) Autorização o Conselho de Administração a remunerar o capital (taxa de acordo com a economia do país) – Aprovado


4) Alienação de bens da cooperativa em garantia de financiamento para compra de milho e soja (safra 2020/2021) e investimento em infraestrutura – Aprovado


5) Autorização para investimentos na expansão da infraestrutura de armazenamento e administração:
Custeio até R$ 7 milhões e investimento até R$ 9 milhões - Aprovado


6) Remuneração dos Gestores, conforme sugestão do Conselho Fiscal - Aprovado


7) Eleição do novo Conselho Fiscal 

Chapa Eleita:

Conselho efetivo:

Onofre Bueno Filho (Engenheiro Elétrico e Produtor Rural)
Pedro Vilela Araújo (Zootecnista e Produtor Rural)
Otávio Barros Araújo (Engenheiro Civil e Produtor Rural)

Conselho suplente:

Tarcísio Rodrigues Vilela
Ulisses Teixeira de Andrade
Geraldo Magela de Barros



Encerramento da AGO


Nos momentos finais da AGO, José Afonso deixou uma mensagem aos produtores de leite, dizendo que o momento é de grandes desafios, mas que o cenário tende a melhorar: “tenham esperança! Não desanimem!”, enfatizou.


César falou sobre a cooperativa: “temos que ter consciência de que a empresa é nossa. É uma empresa normal, que tem que crescer e investir. Algumas optam por financiamentos. Nós temos buscado integralizar nossa sobra à cooperativa.” E encerrou, mencionando o empenho da Diretoria: “nosso trabalho aqui é com dedicação total. Obrigado à presença de todos!”.


Publicado: 25/05/2021 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!